Entrevista com Lobo Borges

da Redação

*

Lobo Borges em processo de criação

Estudante de designer, o físico formado e ilustrador Lobo Borges, 25, começou bem sua carreira nas histórias em quadrinhos. Logo de cara pegou um grande projeto – e com isso, uma tremenda responsabilidade. Desenhar a revista Ledd, que tem o roteiro de ninguém menos que J.M. Trevisan, uma das lendas que criou a revista especializada em RPG Dragão Brasil e o cenário de campanha Tormenta, que é usado como universo da HQ, definitivamente, não é para qualquer um.

Ainda assim, Borges vem se destacando e a revista já concluiu a sua oitava edição. Em entrevista com nossa equipe, ele contou um pouco de suas experiências e como foi parar no universo quadrinístico. Confiram:

Indcom: O que o motivou a começar a desenhar? Quando isso aconteceu?

Lobo Borges: Bom, desde pequeno eu gostava de desenhar, principalmente as personagens de desenhos e adorava assistir as animações da Disney e naquela época tínhamos, a extinta, TV Manchete com Cavaleiros do Zodíaco, Yuyu Hakusho, Shurato, Super Campeões, Sailor Moon, sem falar das outras emissoras que sempre apresentavam animes marcantes, como Fly – O Pequeno Guerreiro, foi um marco para mim. Acho que ter vivido esse período de tantos desenhos e por conviver com dois amigos que desenhavam na escola me fez pegar o gosto pela coisa. De lá para cá não parei.

 *

Indcom: E o que te fez migrar para os quadrinhos?

Lobo: Sempre gostei muito de animações, mas nunca tive acesso a muitos quadrinhos. Isso só veio mudar como BOOM da internet e dos scans na rede. Mas o que me atrai nos quadrinhos é a possibilidade de contar histórias que apenas imagens não conseguem e que só palavras também não dariam conta.

 *

Indcom: Quais suas influências?

Lobo: Como cresci bombardeado por animes minhas grandes influências basicamente são japonesas. Gosto muito do Masashi Kishimoto, Kentaro Miura, Eiichiro Oda, Takeshi Obata, Naoki Urasawa. Estas são minhas grandes influências no momento.

 *

Indcom: Além de mangá, curte HQs estilo comics? 

Lobo: Não curto ler as histórias, mas vivo estudado o trabalho no estilo. Acho importante o tipo de conhecimento que eles podem passar.

 *

Indcom: Quais as suas revistas preferidas?

Lobo: Se estiver se referindo ao que tenho lido elas seriam Hikaru no GO, Naruto, One Piece, Monster e Berserk. Como falei, não curto muito os tipos de histórias normalmente abordados em comics.

 *

Indcom: Lê muitos quadrinhos?

Lobo: Não. Leio mais para recarregar as baterias. Mas em todas as leituras sempre aproveito para extrair alguma coisa nova que não tinha aprendido ainda.

 *

Indcom: Qual a última que leu? O que achou?

Lobo: Acabei de ler Hikaru no Go. É uma boa história. A forma como Obata evolui o traço ao longo da série é fantástica. Gosto muito do roteiro da história também. Incrível como mesmo sendo um mangá sobre GO, que não é tão popular aqui no Brasil, você não fica chateado lendo.

  *

Indcom: Como você avalia o mercado de quadrinhos nacional? Ainda há espaço para novos artistas? O que é preciso?

Lobo: Entrei recentemente no mercado, faz mais ou menos um ano e meio, e sinto que muitas portas estão se abrindo. Basta olhar para as iniciativas que tem surgido. Por exemplo, a galera que produzia fazine migrou para rede e estão produzindo revistas bem acabadas e que deixam alguns profissionais comendo poeira.

Bom, para fazer parte do mercado, na minha opinião, é preciso ter muita vontade e correr atrás, saber direcionar seu trabalho para onde você quer começar e ter bom senso. A vezes, na vontade de começar, achamos que podemos pegar todos os trabalhos do mundo , e não é bem assim. Você tem que ter autocrítica para saber se consegue dar conta ou não do serviço.

 *

Indcom: Seu novo projeto, Ledd, tem tudo a ver com RPG. Você curte? Joga ou já jogou? Quais?

Lobo: Sim, jogo RPG há 10 anos. Não sou um grande conhecedor, mas sempre que posso reúno a galera para rolar uns dados. Comecei com 3D&T e fui conhecendo os outros sistemas aos poucos. Mas sem dúvida meu cenário favorito é Tormenta, que por sorte minha é o cenário onde se passa a história de Ledd.

 *

Indom: O que tem achado de desenhar esta história?

Lobo: Como primeiro trabalho tem sido a melhor experiência que eu poderia ter. Tenho aprendido muito e o J.M. Trevisan sempre me ajuda e cobra muito. Tenho espaço para evoluir e a prender. Acho que não poderia ser melhor.

 *

Indcom: Como conheceu o roteirista J.M. Trevisan e como entrou para o projeto?

Lobo: Eu o conhecia desde os manuais de RPG e da revista Dragão Brasil, mas só entrei em contado em 2011 pelo Twitter. Foi quando apresentei meu blog com alguns trabalhos e em seguida ele me convidou para começar Ledd.

 *

Indcom: Como é trabalhar com ele?

Lobo: Trevisan tem muita experiência de mercado e ele sempre me ensina muitas coisas do meio. Anos trabalhando na Dragão Brasil, construindo Tormenta, escrevendo. Sem falar que ele tem uma paciência de ouro. Não poderia ter entrado com um parceiro melhor no mercado.

 *

Indcom: A HQ já fechou a edição de número 8 e parece que ainda tem muita história pela frente (ainda bem). Como está a receptividade do público?

Lobo: No começo fiquei com medo que não gostassem da história ou dos meus desenhos, mas acabei tomando um susto. A receptividade foi boa na época do lançamento do primeiro episódio e tem crescido a cada novo. Eu só tenho que agradecer aos leitores que tem nos seguido e apoiado a empreitada.

 *

Indcom: A história passa no cenário de Tormenta, criado por Trevisan e outros grandes escritores. O que achou da escolha do cenário?

Lobo: Junto com 3D&T, Tormenta foi o primeiro cenário que joguei na vida. Tenho um carinho especial por ele.

Uma curiosidade é que no começo do trabalho a história de Ledd não se passaria em Tormenta. A sugestão veio do Marcelo Cassaro e tanto eu como o Trevisan topamos a ideia de primeira.

 *

Indcom: Pode nos adiantar um pouco da trama? Sobre o passado do protagonista?

Lobo: Na verdade não posso, Trevisan me mataria se o fizesse, mas posso te dizer que tem muita coisa legal para rolar pelo que estou sabendo. Muitos mistérios a serem resolvidos, muitos problemas a enfrentar. Muita aventura.

  *

Indcom: Qual o seu personagem preferido da história?

Lobo: Coronel Barba Branca. Ele é um ser, aparentemente, não humano que vive em uma nação muito racista. Sem falar que o senso de justiça e lealdade dele me comove muito.

 *

Indcom: A HQ é disponibilizada gratuitamente na rede, por que escolheram este tipo de divulgação?

Lobo: Bom, para evitar a pirataria, porque é mais barato, o acesso ao leitor é mais fácil, a divulgação também, etc. São vários fatores, mas os principais são esses.

 *

Indcom: Qual a diferença da versão impressa?

Lobo: Na versão impressa o leitor encontra as primeiras páginas coloridas e páginas de extras com bastidores da produção. Nos extras colocamos desde esboços até partes do roteiro. Acho que são coisas que sempre chamam a atenção dos leitores que gostam de comprar as revistas e ver mais do que só as páginas do quadrinho.

 *

Indcom: Tem algum outro projeto paralelo à Ledd, ou que pretende executar quando finalizar a série? Pode nos falar um pouco dele?

Lobo: Algumas ideias na cabeça, mas nada que vá para o papel tão cedo. Com a produção de Ledd e os outros trabalhos fica difícil produzir mais alguma coisa em paralelo. Mas a vontade é grande 😄

 *

Indcom: Quer acrescentar alguma informação extra a entrevista?

Lobo: Sim. Recentemente LeddHQ se associou a um novo portal na internet, o Genkidama BR http://genkidama.com.br/

Se você curte mangás, animes, cultura pop em geral, lá é lugar certo para conseguir muita informação de qualidade.

 *

Indcom: Pra fechar, como podemos adquirir a HQ Ledd, qual o valor?

Lobo: Ledd é vendido pela Editora Jambô. Você pode comprar pelo site da editora. http://lojajambo.com.br/quadrinhos/quadrinhos-outros/ledd-vol-1/.

Todos os meus 20 filhos agradecem a cada volume comprando … brincadeira! Mas cada volume vendido ajuda a manter a produção do quadrinho.  

Gostaria de agradecer o espaço da entrevista e dizer que leiam Ledd!

Indcom: A equipe Indcom agradece pelo tempo disponibilizado e recomenda muito a HQ Ledd, que pode ser lida gratuitamente em http://www.leddhq.com.br.

Ledd pode ser lida gratuitamente na internet, mas a versão impressa é repleta de extras

Advertisements